quinta-feira, 21 de março de 2013

Projeto : Menina Bonita Laço de Fita



PROJETO LITERÁRIO

PROJETO: Menina bonita do laço de fita

 PÚBLICO ALVO: Alunos do 2 ano.

 FAIXA ETÁRIA: 7 anos

 JUSTIFICATIVA:
Trabalhar as questões étnicas raciais com crianças  pode trazer resultados positivos, uma vez que elas passam a considerar as diferenças e como algo normal e a escola deve divulgar o lado positivo da história negra. A literatura infantil “ Menina bonita do laço de fita” um clássico de Ana Maria Machado será o meio mais prazeroso para tratar desta questão com crianças, pela forma sutil e prazerosa que a autora trata a beleza negra, com muita delicadeza, com simplicidade, usando uma linguagem suave que encanta a criança, porém forte, permitindo, portanto, aos professores junto às crianças refletir sobre as questões raciais, afetivas, familiares e as diferenças de cor.


 OBJETIVO GERAL:
Levar ao aluno à valorização do ser humano, ajudando-os na reflexão, quanto ás semelhanças, diferenças étnicas e sociais e relações familiares.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
- Apropriar de valores como o respeito a si próprio e ao outro;
 - Elevar a autoestima das crianças de cor escura;
 - Promover discussão sobre os valores humanos, da beleza negra e da diversidade;
 - Levar a criança a perceber, que suas heranças, desde  seu cabelo até a cor de sua pele muitas vezes são herdadas de seus familiares;
- Respeitar as diferenças.

CONTEÚDOS:
 - Identidade;  afetividade; Família; diversidade étnica e cultural.

 RECURSOS MATERIAS:
 Livro “ Menina bonita do laço de fita”

 SITUAÇÕES DIDÁTICAS:
 - Organizar uma roda de conversa para iniciar a ler o livro;
 - Falar sobre a autora da história, como uma escritora que gosta de escrever, principalmente para criança;
 - Durante a leitura ocultar as gravuras e instigar a curiosidade nas crianças;
 - Depois mostrar a capa do livro para as crianças, fazendo questionamento sobre a ilustração. A cor da pele da menina, o cabelo...
 - Ler a história, explorando bastante. Falar sobre as características que herdamos de nossos pais, das particularidades de cada um, cor, estatura, cabelos, lábios... Saber, portanto, das diferenças que muitas vezes são herdados dos nossos familiares.
 - Explorar o relato das crianças: Se gostam ou não do personagem e por quê;
 - Esclarecer para as crianças que todos têm em sua origem, uma historia e que ninguém é igual a ninguém.
-Confecção de um livro com sua história de vida e heranças familiares.

CULMINÂNCIA:
- Construção de um painel com fotos que apareçam pessoas de várias cores, com o título: VIVA AS DIFERENÇAS!
-Dramatização do livro.
-Exposição dos livros confeccionados pelas crianças.


Texto Para Peça: "Menina Bonita do Laço de Fita"
Era uma vez uma menina linda, linda.
Os olhos pareciam duas azeitonas pretas brilhantes, os cabelos enroladinhos e bem negros.
A pele era escura e lustrosa, que nem o pelo da pantera negra na chuva.
Ainda por cima, a mãe gostava de fazer trancinhas no cabelo dela e enfeitar com laços de fita coloridas.
Ela ficava parecendo uma princesa das terras da África, ou uma fada do Reino do Luar.
E, havia um coelho bem branquinho, com olhos vermelhos e focinho nervoso sempre tremelicando. O coelho achava a menina à pessoa mais linda que ele tinha visto na vida.
E pensava:
- Ah, quando eu casar quero ter uma filha pretinha e linda que nem ela...
Por isso, um dia ele foi até a casa da menina e perguntou:
- Menina bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou: ­
- Ah deve ser porque eu caí na tinta preta quando era pequenina...
O coelho saiu dali, procurou uma lata de tinta preta e tomou banho nela.
Ficou bem negro, todo contente. Mas aí veio uma chuva e lavou todo aquele pretume, ele ficou branco outra vez.
Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:
- Menina bonita do laço de fita, qual é o seu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:
- Ah, deve ser porque eu tomei muito café quando era pequenina.
O coelho saiu dali e tomou tanto café que perdeu o sono e passou a noite toda fazendo xixi.
Mas não ficou nada preto.
- Menina bonita do laço de fita, qual o teu segredo para ser tão pretinha?
A menina não sabia, mas inventou:­
- Ah, deve ser porque eu comi muita jabuticaba quando era pequenina.
O coelho saiu dali e se empanturrou de jabuticaba até ficar pesadão, sem conseguir sair do lugar. O máximo que conseguiu foi fazer muito cocozinho preto e redondo feito jabuticaba. Mas não ficou nada preto.
Então ele voltou lá na casa da menina e perguntou outra vez:
- Menina bonita do laço de fita, qual é teu segredo pra ser tão pretinha?
A menina não sabia e... Já ia inventando outra coisa, uma história de feijoada, quando a mãe dela que era uma mulata linda e risonha, resolveu se meter e disse:
- Artes de uma avó preta que ela tinha...
Aí o coelho, que era bobinho, mas nem tanto, viu que a mãe da menina devia estar mesmo dizendo a verdade, porque a gente se parece sempre é com os pais, os tios, os avós e até com os parentes tortos. E se ele queria ter uma filha pretinha e linda que nem a menina tinha era que procurar uma coelha preta para casar.
Não precisou procurar muito. Logo encontrou uma coelhinha escura como a noite, que achava aquele coelho branco uma graça.
Foram namorando, casando e tiveram uma ninhada de filhotes, que coelho quando desanda a ter filhote não para mais! Tinha coelhos de todas as cores: branco, branco malhado de preto, preto malhado de branco e até uma coelha bem pretinha.
Já se sabe afilhada da tal menina bonita que morava na casa ao lado.
E quando a coelhinha saía de laço colorido no pescoço sempre encontrava alguém que perguntava:
- Coelha bonita do laço de fita, qual é o teu segredo para ser tão pretinha?
E ela respondia:
- Conselhos da mãe da minha madrinha...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário